Tipos de Máquinas Virtuais no Azure

Fala galera da Nuvem! Diferentemente da virtualização/hosting, as máquinas virtuais no Azure tem configurações pré-definidas, que são chamadas de “tamanho” ou “size”. Os tamanhos também são definidos por classes, máquinas virtuais de classe A, B, D, E dentre outras. Neste artigo vamos falar dos modelos disponibilizados no Azure.

Série A
Incluem servidores de desenvolvimento e teste, servidores Web de tráfego baixo, bancos de dados pequenos a médios, servidores para prova de conceito e repositórios de código.

Série Bs
Servidores de desenvolvimento e teste, servidores Web de tráfego baixo, bancos de dados pequenos, microsserviços, servidores para prova de conceito, servidores de build.

Série D
Muitos aplicativos de nível empresarial, bancos de dados relacionais, além de cache e análise na memória. As últimas gerações são ideais para aplicativos que exigem CPUs mais rápidas, melhor desempenho do disco local ou memórias maiores.

Série DC
Incluem consulta confidencial em bancos de dados, criação de redes de consórcio escalonáveis confidenciais e algoritmos seguros de aprendizado de máquina com vários participantes. As VMs da série DC são ideais para criar aplicativos seguros baseados em enclave para proteger os códigos e os dados enquanto eles estiverem em uso.

Série E
SAP HANA, SAP S/4 HANA, SQL Hekaton e outras cargas de trabalho in-memory grandes e essenciais para os negócios.

Série F
Incluem processamento em lotes, servidores Web, análise e jogos.

Série G
Incluem bancos de dados SQL e NoSQL grandes, ERP, SAP e soluções de armazenamento de dados.

Série H
Incluem hidrodinâmica, análise de elementos finitos, processamento sísmico, simulação de reservatório, análise de risco, automação de projeto eletrônico, renderização, Spark, modelagem de clima, simulação quântica, química computacional e simulação de transferência de calor.

Série Ls
Uso em bancos de dados NoSQL, tais como Cassandra, MongoDB, Cloudera e Redis. Os aplicativos de armazenamento de dados e os bancos de dados transacionais amplos também são ótimos casos de uso.

Série M
Incluem SAP HANA, SAP S/4 HANA, SQL Hekaton e outras grandes cargas de trabalho na memória e essenciais para os negócios, que exigem potência de computação paralela massiva.

Série N
Simulação, aprendizado profundo, renderização de gráficos, edição de vídeo, jogos e visualização remota.

Os preços variam de acordo com a utilização, para mais detalhes visite o site abaixo: https://azure.microsoft.com/pt-br/pricing/details/virtual-machines/series/

Francisco Ferreira

Francisco Ferreira é MVP em Azure, formado em Tecnologia de Banco de Dados pela Estácio, pós-graduado em Arquitetura de Computação em Nuvem pela UFRN e faz parte da comunidade MTAC - Multiplatform Technical Audience Contributor. Possui as certificações Microsoft Azure Administrator, MCSE Cloud Infrastructure, MSCSA, MCITP, MCT, MCTS, MCPS, MS, MTA, MCDST, MCP, EXIN Cloud Essentials, Citrix CCA e VMWare VCA. Possui 24 anos de experiência em Tecnologia da Informação, trabalhou 2 anos como Arquiteto de Soluções na Hybrid Datacenter, atua como professor na área de tecnologia e atualmente trabalha como Administrador de Redes da Miranda Computação em Natal-RN.

Deixe uma resposta

%d blogueiros gostam disto: